Se você quer um mundo novo e melhor, comece por você!

Venha você também trabalhar por um mundo melhor em 2016.
Abrace um ideal de vida e junte-se a nós!

Últimos Artigos

A caridade

A caridade

Posted by Pedro Henrique on dez 2016

A CARIDADE   A palavra caridade tem sua etimologia no latim “carita” que significa amor, “carus” de alto valor, digno de apreço. No senso comum alguém caridoso é sinônimo de uma pessoa despojada, que não mede esforços para se doar ou doar seus bens a favor do próximo. Não contrariando o senso comum, mas pode-se ampliar o significado do que seja caridade, e principalmente fazê-lo sob os olhos vigilantes das inúmeros distorções que o sentido da palavra tomou ao longo do tempo, ou seja, vamos procurar restabelecer o verdadeiro e amplo sentido da palavra “caridade”. Observa-se que, muitas vezes tanto a utilização quanto a leitura que se faz sobre o que seja caridade, carrega um desvio em função do estreitamento da visão espiritual sobre o comportamento humano. Com a decadência de uma  educação cada dia menos espiritualizada, independentemente da religião, não aprendemos e não ensinamos mais valores superiores da alma, em decorrência disto, perdemos também a sensibilidade sobre os sentimentos mais puros, nos tornando brutos no espírito. Passamos então a achar que alguém caridoso é aquele que doa seus bens aos demais, e muitas vezes procuramos tecer imitações deste comportamento sem qualquer consciência do que esteja de fato fazendo. Neste diapasão, passamos a dar esmolas e doações sem qualquer critério de inteligência, onde acabamos apoiando a debilidade dos mais fracos, em detrimento de uma falsa ideia de superioridade e de ajuda humanitária. Sob a ação da falsa caridade jaz um ego egoísta e manipulador, onde a doação tem por última finalidade beneficiar o próprio doador, mesmo que num primeiro momento não possa parecer, porém a maioria dos atos de...

Veja mais
Como aproveitar bem a vida

Como aproveitar bem a vida

Posted by Pedro Henrique on nov 2016

COMO APROVEITAR BEM A VIDA   Temos nos deparado quase todos os dias com pessoas frenéticas, muito preocupadas em aproveitar bem a vida, ansiosas pela proximidade do final de semana, contando no calendário a quantidade de feriados e as possibilidades de emendá-los ou, ainda, fazendo contagem regressiva para as tão esperadas e merecidas férias ou até mesmo aguardando a aposentadoria, ocasião em que poderão, então, aproveitar a vida. No entanto, cremos que tudo isto não passa de mais uma das armadilhas e laços da ilusão que nos envolve na matéria, nos cega e nos escraviza, não nos deixando viver intensamente a vida em cada um dos seus maravilhosos momentos, pois estamos sempre tentando viver, em parte, o futuro. Trabalhar aguardando o final de semana é dividir-se, é não estar inteiro no que faz, é desperdiçar parte da nossa já escassa energia prânica. Ora,  alguém que busca o conhecimento e a verdadeira razão da vida não pode se dar a este luxo. Devemos entender primeiramente o que é aproveitar a vida, e para isso podemos utilizar-nos de um paralelo: o exemplo do pai que tinha dois  filhos e a cada um deles deu um automóvel. O primeiro deles, imediatamente após a posse das chaves, já passou a fazer uso do veículo para transportá-lo à escola, ao trabalho, ao lazer, enquanto que seu irmão, muito cauteloso, econômico e zeloso, limpava seu presente quase todos os dias, revisava seu estado mecânico, lubrificava e lavava os mais inatingíveis cantinhos do veículo de forma a mantê-lo sempre em condições de uso. Todavia, perguntamos: qual deles efetivamente conseguiu aproveitar-se do automóvel?  Não obstante todo o...

Veja mais
A Arte da Gentileza

A Arte da Gentileza

Posted by Pedro Henrique on out 2016

                                            A ARTE DA GENTILEZA   Não são raras as vezes em que nos deparamos com determinadas situações que nos fazem pensar: “Não poderia esta pessoa ter sido mais gentil nesta situação…” e muitas destas vezes isso ocorre conosco mesmo, quando começamos a trilhar um caminho de evolução e vamos desenvolvendo nossa auto percepção, de maneira a nos revelar não tão gentis quanto a nossa antiga auto imagem nos fazia crer. O diferencial está em primeiramente podermos perceber que não agimos bem, mas é claro que, mesmo sendo uma auto crítica, esta deve estar livre da culpa, já que a culpa carrega o sentido de auto punição do ego pelo próprio ego, porém, a consciência sobre a nossa falha nos permitirá procurarmos não repeti-la. Mas o que é ser gentil de fato? A questão é bem mais profunda do que podemos imaginar, a falta de gentileza reflete também a falta de amor, de humanidade; carrega uma grande pitada de egoísmo. Muitas vezes não somos gentis porque estávamos preocupados, sobrecarregados de atividades, com o pensamento fora do aqui agora, e deixamos passar a oportunidade de sermos gentis pela nossa incapacidade de viver o presente. Isto reflete também que não estamos atentos, não estamos presentes no momento em que somos solicitados, estamos pensando no ontem ou no amanhã, focados em nossas problemáticas. Muitos se consideram gentis e generosos, no entanto, estas afirmações caem por terra quando estas pessoas são postas a prova pela vida, ai então demonstram seu verdadeiro caráter, pois são traídas pelas pequenas coisas e então percebemos que na realidade não estão imbuídas do bem e do justo. Ser...

Veja mais