Se você quer um mundo novo e melhor, comece por você!

Venha você também trabalhar por um mundo melhor em 2017.
Abrace um Ideal de Vida e junte-se a nós!

Últimos Artigos

A Culpa

A Culpa

Posted by Pedro Henrique on jul 2017

A Culpa   Neste artigo trataremos da culpa, um assunto que normalmente não é alvo de reflexões e, certamente, um dos motivos é por achamos que seja um tema muito simples e com conceito bem definido. Porém, a filosofia conduz-nos a uma reflexão sobre o tema que poderá levar-nos um pouco mais adiante na busca da sabedoria através do autoconhecimento.   Primeiramente, devemos entender que a culpa pode ser vista sob dois aspectos ou direções: um deles é sob a ação da força centrífuga em nós, que se manifesta pela atribuição da culpa aos outros, ou seja, a procura de um culpado que não sejamos nós mesmos, que esteja fora de nós, e uma segunda direção que é a interna, cuja ação está sob o movimento da força centrípeta, ou seja, a autoculpa.   Sabemos que a matéria tem sempre três qualidades, ou direções, a inércia, o impulso sem consciência, e o equilíbrio que sempre está vinculado à justiça e à harmonia. Vejamos, então, cada uma destas direções. Entretanto, antes disso vamos analisar com um pouco mais de profundidade o que seja a culpa.   A culpa sempre advém de um posicionamento contra nós mesmos e a favor da ignorância. Culpa é atribuir a outrem ou a si mesmo a responsabilidade por um comportamento repreensivo ou criminoso, um mal ou erro cometido.   Se o início da culpa é quando nos acusamos assumindo um fardo, seu término é quando reconhecemos as verdadeiras causas e decidimos mudar.   AUTOCULPA A culpa, no seu movimento pela força centrípeta, é a auto acusação e sempre encontra terreno fértil nas pessoas que não...

Veja mais
A Carência

A Carência

Posted by Pedro Henrique on jun 2017

A Carência   A vida parece ficar mais leve e colorida quando temos o apoio de alguém do nosso lado. Amar e sentir-se amado ajuda em nossos trabalhos, melhora nossa qualidade de vida e nossos relacionamentos. Sentir-se amado parece ser a fórmula para resolver nossos problemas; contudo, na contramão da nossa vida, poderá surgir a falta desse amor: a carência!   Infelizmente, muitos de nós já sofremos, temos sofrido ou ainda sofreremos os efeitos malévolos desse sentimento, se assim podemos chamá-lo. Quem já não presenciou histórias de alguém que – por estar vivendo um período de carência – buscou ser amado(a) a qualquer preço, na tentativa de suprir o amor que não consegue encontrar em si mesmo?   Porém, raras vezes paramos para analisar as raízes da carência e o porquê, nos dias de hoje, as pessoas estarem cada vez mais carentes, seja no campo material, seja no campo emocional.   No campo material, mendigamos cestas básicas, aumento salarial, e ajudas de toda a sorte, no campo emocional imploramos por atenção, por carinho e amor. Entretanto, será que esta é a verdadeira face do homem integral?   Uma frase do grande filósofo estóico Sêneca chama-nos a atenção quando  diz:   “ Um filósofo basta a si mesmo”.   Num primeiro momento podemos entender esta frase como pedante, porém seu verdadeiro sentido remete-nos ao que deveria ser um homem integral: aquele que não tem carências.   Podemos aprender muito com a natureza. Observando os animais no seu “habitat” natural, percebemos que não vivem em carência, obtêm seu sustento e satisfazem suas necessidades agindo naturalmente, porém, quando observamos o homem, percebemos...

Veja mais
Como solucionar nossos problemas

Como solucionar nossos problemas

Posted by Pedro Henrique on jun 2017

 Versão do artigo em áudio para ouvir no celular, no carro, passar para o pen-drive, etc. Clique aqui com o botão direito do mouse e escolha “Salvar destino como…”. http://academiadefilosofia.org/wp-content/uploads/2016/07/Academia-Como-solucionar-nossos-problemas.mp3   Todos nós, se questionados sobre nossos problemas, imediatamente apresentaremos uma relação deles e nos parece que toda a nossa vida gira em torno destes problemas. Vivemos reclamando e  expondo-os em toda a oportunidade que temos, porém, sequer sobra-nos algum tempo para nos questionarmos o que sejam de fato estes “problemas”. Também, por desconhecermos suas verdadeiras causas eles  multiplicam-se e, não raras vezes,  tomam-nos de assalto.   – O que é um problema? Sob os olhos da filosofia aquilo ao qual chamamos de problema não existe da forma com que o vemos, pois é mera criação da nossa mente concreta quando nos relacionamos no mundo físico, ou seja, um problema nada mais é do que a projeção externa de uma desarmonia interna, na maioria das vezes de difícil detecção. A colocação acima explica porque as pessoas, de forma geral, têm problemas manifestadamente diferentes na forma e na sua profundidade. Porém, isto se explica pelo fato de sermos todos diferentes uns dos outros, portanto, naturalmente alimentaremos uma relação particular com o mundo que nos cerca.   – Como  nos relacionarmos com os problemas? Primeiramente, podemos afirmar que a parte mais importante de um problema é a forma pela qual nos relacionamos com ele e isto significa não somente a forma com que o vemos, mas também o grau de importância que damos a ele. Você já reparou que nossas maiores lições de vida advêm dos nossos maiores problemas? Isto é...

Veja mais