A proatividade

A proatividade

A  PROATIVIDADE

 

                        Quando observamos o mundo e as pessoas que hoje compõem a nossa sociedade, podemos tem uma primeira impressão de que ela consiste em sua maioria de pessoas bem ativas ou proativas, porém, se avaliarmos com maior acuidade poderemos ter uma grande decepção, pois, há um engodo que nos faz crer em algo que não expressa o verdadeiro sentido da proatividade.

Primeiramente creio que cabe enfatizar que existe uma diferença entre ser ativo e ser proativo, porém, necessário se faz analisarmos também uma outra categoria de pessoas ou comportamento que consiste na passividade.

Isto posto, analisemos cada um dos aspectos dos três tipos de comportamento onde necessariamente todos de uma maneira ou outra se enquadram.

 

A PASSIVIDADE – Esta categoria de comportamento á a mais comum e compreende a psique da maioria das pessoas, ela consiste na adoção de um comportamento consubstanciado na inércia e que se apóia nos vícios da preguiça, da indolência, da negligência, da desídia, e da falta de responsabilidade na vida.

 

As pessoas que compreendem este grupo trazem traços de comportamento em comum, sejam eles:

 

  • O medo – Normalmente carregam em si o medo da morte e por conseqüência o medo da vida, pois ao mesmo tempo que temem a morte, desperdiçam suas vidas fugindo das responsabilidades, agem e deixam de agir movidas pelo medo, tem medo de tudo, de perder o emprego, de ficarem sozinhas, de adoecerem, de envelhecerem, etc. De forma que suas ações não ocorrem pelo motor da utilidade, da busca pela mudança e do crescimento do todo e de si mesmo, alimentam em si mesmas o medo de errar, pois sabem quem erra é quem faz, porém se esquecem de que os erros também conduzem ao posterior acerto, e assim não contribuem para a sua própria evolução.

 

  • O descompromisso – Aquele que assume a postura passiva ante a vida costuma fugir dos compromissos, assumindo o mínimo possível de responsabilidades, normalmente deixa para os outros decidirem e assumirem aquilo que ele deveria fazer. Não pensam, não planejam as suas vidas e por isso sempre ficam a mercê dos outros. Suas vidas são conduzidas pelo coletivo, são alvos fáceis para os manipuladores de plantão, pois já que não pensam e não tem idéias próprias, tendem a seguir as idéias dos outros.

 

  • A crítica – Para firmar sua posição de pseudo cidadão e sua falsa personalidade, ele se lança a criticar a tudo e a todos, porém nada faz de útil e construtivo. Quando critica se alivia da pressão da sua alma que lhe cobra um papel ativo no mundo e de fazer valer a sua encarnação como homem. Quando lança suas críticas procura mostrar-se ativo ao mesmo tempo que tenta diminuir o que os outros constroem.

 

  • O vitimismo – Característica gerada pelo auto descrédito, é qualidade inerente de todo ser passivo, se coloca na condição de vítima, se diminui, e no seu complexo de inferioridade se coloca imprestável a maioria das ações que se fazem necessárias ao mundo. Esse vitimismo pode se dar de muitas maneiras, expressa-se através de uma saúde debilitada, a falta de tempo, a falta de talento, e assim por diante, tudo passa a ser um artifício para se manter na sua zona de conforto.

 

  • O doador de idéias – Não obstante as características supra elencadas, outro elemento que define a conduta de um ser passivo é sempre ter idéias com as quais contribuir para a vida das pessoas, para o mundo, e para a solução de todos os problemas, sejam eles de ordem econômica, esportiva, religiosa, etc. Sempre contribuem com suas “maravilhosas” idéias e sugestões, e em ato contínuo desaparecem do contexto, pois não estão dispostos a contribuir com mais nada, seja dinheiro, tempo, etc.

 

A ATIVIDADE – Esta outra categoria, é composta das pessoas que se desafiam mais, que buscam fazer coisas, de maneira que se colocam em atividade. Há casos em que se sentem mal caso não estejam fazendo algo, suas vidas são repletas de planos, projetos, costumam ser pessoas muito ativas no trabalho, com idéias próprias contribuem inclusive com o coletivo.

As pessoas desta categoria costumam ser bem sucedidas materialmente falando, normalmente são lideres, trazem espírito de comando, costumam assumir cargos de gerência, colocam suas qualidades administrativas, vocacionais, e outras a favor do que chamamos de crescimento social.

 

Todavia, as duas categorias de pessoas aqui descritas encontram-se praticamente ante o mesmo dilema e auto engano, pois ambas não compreenderam ainda qual o seu verdadeiro papel ante a vida, e o que de fato o Universo exige deles, por isso, necessário se faz falarmos da terceira categoria de pessoas, a qual denominamos de proativas.

 

A PROATIVIDADE – Esta forma de ser é própria do homem natural, que formará a futura humanidade, o proativo além de não fugir da sua responsabilidade, está sempre pronto para novos desafios, desafios estes que a cada momento lhe trará a descoberta do seu verdadeiro SER, ele não se nega a entrega e ao compromisso, a todo o momento está procurando doar o seu melhor nas tarefas mais simples da vida, pois consegue ver que é no mais simples que se encontram os maiores desafios pessoais. Sua vida tende a ser cada dia mais útil, pois nisso que coloca o foco do seu dia, ele se prepara, se melhora para melhor poder servir ao Universo. O proativo não se contenta com o que tem e com o que é, está sempre buscando mais, pois é assim que cresce em virtudes, não se acomoda, não se identifica com as coisas e pessoas, pois entende que tudo é impermanente, a cada dia tem menos medo, pois a cada dia entende melhor que tudo o que acontece está de acordo às Leis, e que visa por último o seu próprio crescimento consciencial.

 

Ser proativo é ser feliz, é estar a cada dia mais unido à natureza e confiante que tudo está em seu devido lugar, o proativo entrega a sua vida sem nada exigir em troca, doa-se na ação mesmo sem estar preparado, pois confia em si mesmo e nas Leis que se cumprirão. Por isso seu futuro está garantido já que depende de si mesmo e não dos outros, isso lhe traz e mantém a tranquilidade da alma, passando a ser um exemplo melhor a cada dia.

 

O proativo é aquele que já percebeu que os filhos não são seus, que os bens materiais, o dinheiro, fama, amigos, na verdade são oportunidades pontuais e temporárias geradas pelo amor do universo em prol da nossa própria evolução.

 

“Ser proativo é amar-se todos os dias.”

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *