A confiança

A confiança
A confiança

A confiança

Na confiança está implícito um ato de delegação. Ao entregar com segurança alguma coisa a alguém, por um laço de confiança acredita-se que este alguém não faltará com a sua responsabilidade.

Neste diapasão, a confiança é um elemento fundamental para que possamos conviver em harmonia numa sociedade, pois, sem a confiança a convivência se torna impossível.

Podemos dizer ainda que a confiança é uma superação da incerteza e quando estamos incertos nossa tendência é reter energia. Imagine alguém que está para atravessar uma rua. Enquanto não conquistar a confiança de que nada vai lhe ocorrer, ele não caminha, e assim ocorre com nossas vidas, sem confiança não seguimos adiante.

A confiança é gerada pela pureza e pela responsabilidade. Quando uma criança se projeta de uma escada a mando de seu pai que o espera lá embaixo com os braços abertos, este garoto está puro de coração e confia plenamente no pai, que já mostrou anteriormente ser alguém responsável e que jamais deixaria acontecer algo ruim ao seu filho.

Este laço de confiança torna-se um canal de energia entre dois ou mais seres. A confiança pode se estabelecer entre duas ou mais pessoas, por isso, ela é um elemento fundamental para a evolução humana; sem confiança nada pode ser feito. Imagine um empresário que não confia em seus empregados. Como fará para controlar tudo sozinho? Pais que não confiam em seus filhos, ou casais que não confiam um no outro, são relações fadadas ao insucesso.

A convivência somente é possível a partir de um determinado laço de confiança. A partir da desconfiança nossas vidas se tornam instáveis e perdemos energia.

A estabilidade que procuramos é um ponto de equilíbrio energético que nos permite fazer mais coisas com a utilização de menos energia e isso somente se torna possível a partir da conquista da confiança nas pessoas e nas coisas. Nossa confiança não se restringe a pessoas, muito embora este artigo seja dirigido a elas. Temos também que conquistar confiança com relação a outros reinos da natureza e suas leis.

Um homem salta de pára-quedas por confiar no equipamento e no seu fabricante; usamos um transporte aéreo por confiar nos controladores de vôo e no piloto, ou seja, sem a confiança a vida se torna impossível, por isso, ela flui com mais naturalidade e leveza quando conquistamos a confiança. Um homem pode continuar firme no seu propósito de justiça por confiar nas leis de Deus, ou seja, a confiança é elemento fundamental para a vida.

Ocorre que a cada dia que passa estamos experimentando um mundo com menos confiança, já não confiamos mais no sistema de saúde, no sistema de aposentadoria, na segurança pública, nas instituições e nas pessoas, e isso vai transformando nossas vidas num caminhar mais pesado, mais denso, sendo necessária a busca de mais energia para realização do que temos de fazer.

As relações pessoais ficam mais difíceis; se confiamos algo a alguém, temos que checar para ver se de fato foi feito, temos que cobrar prazos, qualidade, atendimento etc. Tudo isso convertido em energia significa desperdício, algo anti natural, já que a natureza nada desperdiça, nada deve sobrar ou faltar. Por princípio de justiça a natureza é econômica.

Confiança é o Sol, o elemento masculino, enquanto a estabilidade é a Lua, o elemento feminino; sem confiança não há estabilidade; para conquistarmos a estabilidade é necessário antes conquistarmos a confiança, e como conquistamos a confiança?

Somente há uma maneira de conquistarmos a confiança: é fazermos as coisas com responsabilidade, honrando os compromissos assumidos, respeitando os limites do próximo, agindo com lealdade e coerência. O desenvolvimento desta postura de vida, regrada por hábitos que refletem as virtudes relacionadas acima, nos trará a estabilidade necessária para que possamos evoluir com ritmo e consciência.

Confiança é algo como uma ponte entre duas ou mais pessoas construída nos pilares da sinceridade, responsabilidade e coerência. Sinceridade é viver abertamente os próprios sentimentos e atitudes do momento, fazendo-se franco e transparente.

Responsabilidade está na capacidade de fazer o que se promete; muitos oferecem muito e não são capazes de cumprir.

Coerência é falar e agir de acordo com seus sentimentos e pensamentos, é ser você mesmo. É colocar para fora o que se tem dentro.

Esses três pilares sustentam a força da confiança de tal forma que se pode ir e voltar por essa ponte sabendo-se que ela é forte. Confiança é derivada da palavra “traustr”, do escandinavo antigo, que significa “forte”, mesma raiz da palavra verdade “trust”. Por isso, confiamos em uma pessoa que acreditamos que seja forte e verdadeira para nós. A confiança tem mais a ver com um ato de fé e muitas vezes dispensa o raciocínio lógico.

O grau de confiança entre duas pessoas é determinado pela capacidade que temos de prever o comportamento da outra. Confiança é o resultado do conhecimento sobre alguém ou sobre algo. Quanto mais informações sobre quem necessitamos confiar, melhor, então formaremos um conceito positivo ou negativo da pessoa.

Necessitamos da confiança quando não podemos ver o que está acontecendo por nossos próprios sentidos, assim, acreditamos naquele em que pensamos poder nos apoiar sem medo que desabe, pois é forte e verdadeiro.

Se dissociarmos a palavra confiança temos: con = juntos, fiança = dar crédito. A confiança verdadeira é isso: juntos damos crédito um ao outro e a nós mesmos, pois há um fio de amor que nos une pela responsabilidade, pelo conhecimento e respeito.

Lembremos que a confiança começa na autoconfiança, quem não confia em si mesmo, como poderá confiar em outro?

A falta de confiança em si mesmo normalmente gera um comportamento agressivo e a agressividade passa a ser um escudo de proteção. É muito comum, inconscientemente, pessoas com esta debilidade procurarem amigos ou cônjuges com características dominadoras, como uma forma de compensação.

Como disse François La Rochefoucauld: ”A confiança que temos em nós mesmos reflete-se, em grande parte, na confiança que temos nos outros”.
 Pense nisso!

1 Comment

  1. Ótimo texto. Muito esclarecedor. Obrigado.

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *